Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

E já tratámos do cartão do cidadão! Aleluia, irmãos!

Pois eu tinha que vir aqui contar-vos como foi o meu périplo pelos meandros das conservatórias para tratar do meu cartão do cidadão. Não vos podia deixar em ânsias, prestes a terem um avc sem saberem de mim e do meu querido cartão do cidadão. Pois ainda não o tenho, mas já tratei de tudo para o ter em breve. Diz que dentro de 8 a 10 dias já o poderei ir levantar... Aiiii.... novo desespero que já vos conto.

Pois então, hoje, como aliás em todos os dias da semana, levantei-me cedinho, despachar almoços para as miúdas, levá-las às escolas, e saí com o senhor marquês tratar dos nossos cartõezinhos do cidadão. E lá fomos para Marvila (claro! poderia ser noutro sítio?... Até poderia mas as expectativas eram que fosse mais demorado), chegando lá, pelas 9:05h mais ou menos tirámos a senha, 16 e 17, respectivamente. Ora ia no 2, achámos que nem era muita gente e aquilo havia de ser rápido... ahahahahahha!!!!! Eu e o meu optimismo... O marquês estava com umas "trombas" de meio metro... o tempo a avançar... mas os números não!

Centenas de pessoas naquela Loja do Cidadão, gente em cima de gente. Lá vislumbrei, ao longe um lugarzito para me sentar, e sentei-me. O dia prometia ser longo, pelo menos a manhã, e eu tinha que me poupar. E sentei-me ao lado de quem? Perguntam vocês... (Só eu!) de uma criatura que resolveu escolher a Loja do Cidadão de Marvila para fazer a manicura. Vero!!! E lá estava ela, de lima a limar as unhas, a sacudir o pózinho para cima dos parceiros do lado (bleachhh... que nojo), a sacar a catota das unhas com a ponta da lima metálica. Guarda a dita, e eu pensei, terminou!, mas não! Não tinha terminado. Saca de outra lima, desta feita de cartão e continua... Não esperei para ver o resto. Mudei de lugar! Talvez seja eu que sou picuinhas, mas há limites. 

Entretanto passaram-se 45 minutos, fui respondendo aos vossos comentários, e apenas tinha avançado 1 número... Desespero!!! 45 minutos e apenas uma pessoa tinha sido atendida. Percebemos que só estava uma pessoa a tratar dos cartões do cidadão. Graças a este blog e a um anónimo querido que me recomendou ir a Arruda dos Vinhos, lá fomos. O marquês continuava de "trombas" e a querer deixar o assunto para outro dia, para quando fossemos velhinhos e reformados sem nada para fazer... Contrariamente ao que uma leitora sugeriu, que o meu post anterior servia apenas para me "baldar" ao trabalho e justificar a falta, esta manhã perdida é efectivamente perdida. Significa que terei de abdicar de tempo de descanso para colmatar as horas que estive ausente a tratar do cartão do cidadão. É, nem todos contribuímos para o absentismo neste país! A essa leitora gostaria apenas de a descansar dizendo que eu escrevi o post anterior apenas porque gosto de debitar parvoíces. Só isso! Eu sei, é pouco ambicioso, mas é o que temos.

Em Arruda dos Vinhos ficámos com a senha 15 e 16 e numa hora e meia estávamos despachados. Conseguiram atender umas 15 ou 20 pessoas nesse tempo (que ali tiramos senha para os diversos temas a tratar mas é só para justificar a máquina, porque o atendimento é feito por ordem de chegada, não importa se vamos tratar do CC ou do passaporte... Cenas!). 

Agora ainda vamos ter a parte 2 deste périplo. Ah pois é... Achavam mesmo que a coisa se resolvia assim... Não, comigo tem de ser sempre pelo caminho mais complicado. Então, dá-se o caso de eu ter sido atendida por uma senhora e o marquês por outra. A "minha" senhora perguntou-me onde queria eu levantar o meu amigo CC, e eu, a medo, porque eu escolho sempre o caminho mais difícil e normalmente não acerto, disse que podia ser no Campus de Justiça. Já ao marquês não lhe perguntaram nada e vai daí tem de ir a Arruda dos Vinhos levantar o seu CC... Ir levantar o CC a Arruda dos Vinhos há-de ser um momento igualmente prazeiroso de contacto humano, já que aquele espaço é exíguo e proporciona troca de germes e odores. Lembram-se de eu vos ter dito que em Arruda não é importante o que vão lá fazer? O importante é a hora a que chegam... É isso! Estava lá um senhor há 1 hora para levantar o passaporte, e ainda teria, segundo os prognósticos da senhora, de esperar mais uma hora.

A parte boa? Há sempre uma parte boa! Que se torna melhor quando é inesperada. Eu cresci quase 2 cm e o marquês cresceu 2 cm, e pela primeira vez na vida a fotografia ficou bem jeitosinha, desde já vos digo! É irem a Arruda dos Vinhos para crescerem uns centímetros e ficarem com uma fotografia toda catita no vosso CC. Quem disse que as fotografias dos Cartões do Cidadão são sempre medonhas não sabe o que diz e debita calúnias por aí...


3 comentários

Comentar post