Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

Não, não é fofinho! E também não, não é amor!

Há uns tempos li, lá pelo maravilhoso mundo do facebook, algo que me desconcertou. Foi algo publicado por uma jovem, com cerca de 20 anos. O que torna tudo mais assustador. Era uma partilha de um post de uma página qualquer brasileira, que tinha milhões, sim, leram bem milhões de likes e milhares de comentários de apoio.

 

Não me recordo das palavras certas, mas era uma ode às mulheres abusadoras e possessivas, dizendo que uma mulher que quer saber tudo sobre o seu mais-que-tudo (que termo tão foleiro, blhéc...) o faz por amor, que uma mulher que faz uma cena de ciúmes não é ciumenta é zelosa do que é seu (?!?!?!.... What?!?... Mas há mesmo quem acredite ser dono de alguém?... Nem os filhos são propriedade nossa.), quem querer saber a password do namorado (do telemóvel, e-mail etc...) não é por controlo, é apenas um voto de confiança dele, não o deixar sair com os amigos não é porque não confie nele, é porque não confia nos amigos dele e ela é que sabe o que é melhor para ele... Confesso que não consegui ler tudo, sob pena de ter de vomitar, mas fiquei muito, muito chocada. Não só pela tremenda baixa autoestima destas mulheres, mas também porque se isto estivesse no masculino era violência doméstica. Era abuso! Na mulher não é abuso? Não é violência? É o quê? É fofinho? É amor?

 

Não, não é amor! Amor é confiança total! Se não podemos, se não conseguimos, confiar em determinada pessoa (homem ou mulher), com ou sem motivos para isso, então não o amamos, temos apenas e tão só o sentimento de posse. Como é que se quer que alguém fique connosco se não confiamos nessa pessoa? Eu só quero alguém comigo que queira ficar comigo.

 

É como ter um perfil de facebook conjunto, não é fofinho, não é amor, não é confiança total. Pelo contrário, é desconfiança total! Se eu tenho necessidade de ter um perfil conjunto é porque não confio na pessoa que está comigo. Mas este tema dará outro post, porque para além de não ser fofinho, é parvo!

 

Quando chegamos ao ponto de querer saber tudo o que o outro faz, diz, com quem está, com quem partilhou conversas, assuntos, posts, etc... Temos de parar, se não conseguimos sozinhos temos de pedir ajuda. A co-dependência, de que se fala tão pouco, existe e é uma doença, pode ser tratada e há ajuda profissional para isso. 

heart-268151_1920.jpg