Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

Desafio das 52 semanas - Semana 2

Pois cá estamos para semana 2 do desafio das 52 semanas... Para quem chegou agora pode ver tudo aqui no blog da Happy.

Para já parece-me que fiz muito bem em aderir pois, com mais uma semana louca e com pouco tempo (eu sei que o tempo não existe e é só uma desculpa procrastinar - há muito tempo que não escrevia esta palavra fantástica... Vá todos em coro a dizê-la em voz alta...), pelo menos venho cá hoje escrever. Compromisso é compromisso, catano!

O desafio desta semana é: Eu nunca....

- Eu nunca vi um episódio de Sexo e a Cidade, (e estou viva!) tal como podem confirmar aqui;

- Eu nunca gostei de Nutella (vá chamem-me nomes feios... Digam-me que não sou digna de respirar... Chicoteiem-me sem dó nem piedade... Eu aguento);

- Eu nunca tolerei má educação (por favor, obrigada, bom dia, boa tarde... e por aí fora... são gentilezas à mão de todos nós);

- Eu nunca fiz uma tatuagem (e não acho que vá fazer... Nada contra, eu é que sou pessoa para mudar de opinião, deixar de gostar e depois é capaz de ser chato...);

- Eu nunca atirei lixo para o chão (eh pá se há coisa capaz de me pôr os nervos nervosos é isto... Pessoas, o lixo põe-se no caixote do lixo, é para isso que ele serve... Portugal, e o mundo, não é só teu...);

- Eu nunca abandonei um animal (humanos excluídos, que é capaz de haver para aí uns que discordam ) e quem o faz é um merdas;

- Eu nunca gostei de andar de avião (mas ando, como podem ver aqui);

- Eu nunca gostei de Físico-química (cenas da vida... a pior disciplina de sempre... não tenho mais nada a acrescentar!);

- Eu nunca fui à Oceânia (e não me parece que vá... aquilo é longe comó raio e não dá para ir de carro... 20 horas dentro de um avião não me parece que seja exequível...);

- Eu nunca usei cábulas (fi-las uma vez, fiquei com tantos nervos que me denunciei e contei tudo ao stor... ele desculpou-me. );

- Eu nunca chumbei (pronto, agora vão achar que eu sou a nerd de serviço... aquela atinadinha que só tem boas notas e que ainda por cima nunca usou cábulas... Nop! By the way, só tive positiva a Físico-química num único teste na minha vidinha... e não vos digo as notas dos restantes... Shame on me. Aliás, a minha mãe sempre me disse toda a vida: tu andas sempre na corda bamba... parece que vais cair e nunca cais. );

- Eu nunca gostei de tarefas domésticas (odeio. Abomino. Todas, todas, todas. Odeio cozinhar, limpar, aspirar, lavar, passar a ferro... já estou a hiperventilar só de escrever... Vou parar se não tenho de ir tomar as gotas...);

- Eu nunca gostei de moralistas (excepto eu... Toda a gente sabe que a minha moral é melhor do que a dos outros e como tal eu tenho propriedade para debitar moralidades...);

- Eu nunca gostei de pessoal que me dá toques enquanto fala comigo (aiii que nervos, caraças!! Tenho uma prima que está oficialmente proibida de se sentar ao meu lado nos convívios de família, e eu e ela sabemos porquê... );

- Eu nunca viajei sozinha (e não me parece nada aliciante... Eu gosto de converseta, e depois?... Falo com quem?...);

- Eu nunca parti um osso (meu!... Que já parti a cabeça a um vizinho, mas isso não conta, pois não?!?);

- Eu nunca fui santa (mas bem podia .... ahahhahhahahhahaha!!! Pronto a blogosfera não aguentou esta e foi abaixo!!!...);

Podia continuar por aí fora que há muita coisa que nunca fiz, tais como cozido à portuguesa, obras em casa, um mortal encarpado à rectaguarda, andar ao pé coxinho em marcha atrás durante 30 minutos (nem um segundo, descansem), comer cobras e lagartos e cenas esquisitas (sou vegetariana), saltar de pára-quedas (algo que só farei em caso de extrema necessidade, tipo o avião vai cair e ou morres da queda ou saltas... e morres de ataque cardíaco, mas pelo menos sempre vives mais uns minutos), desportos radicais (sim, o meu rol de desportos radicais é enoooorrme)... Não vos maço mais...






"Rais parta..."

Fónix... estamos em Janeiro, mais propriamente a dia 6 (ou 7, depende da perspectiva), está frio comó caraças... não estamos sequer perto do Verão (nem Primavera, quanto mais).... mas... mas... fónix, porra, chiça... eu, eu tenho uma melga no quarto!!!!!! Melga, aquele ser gigantesco que não permite que consigamos dormir uma noite seguida... aquele ser capaz de nos azucrinar até à loucura... acudam-me!!! Socorro!!!.... 👹🤢😈

Desafio das 52 semanas...

Vi este desafio no blog do Triptofano, que foi desafiado pela Happy e vai daí que gostei e resolvi aderir....

Então a ideia é conhecer e dar a conhecer os boggers mais "verdinhos" aqui do Sapo, ou seja, os caloiros cá do sítio e sem praxe (o que é sempre fixe porque eu detesto praxes). Assim, durante 52 semanas, sempre à sexta-feira, os "putos cá do bairro", os "tenrinhos" têm de responder a um desafio que nos mostrará mais um pouco de cada um.

Ora, como eu gosto de conhecer pessoas (e das pessoas também, vá) resolvi alinhar... Isto vai exigir de mim algo que é capaz de me fazer bem mas que implica que eu tenha de sair da minha "zona de conforto" (o que é bom pois este é um dos meus objectivos para este ano), ser disciplinada na escrita, comprometer-me com ela.

Então cá vai.... Rufam os tambores...

O desafio desta semana é: 

Semana 1: Coisas que me fazem ficar feliz

1. Chocolates!!!!! Yaehhhhh!!!! Adoro doces em geral e chocolates em particular. Não entendo as pessoas que escolhem um gelado que não tem chocolate... Se eu vou a uma geladaria e, por uma catástrofe qualquer, não há gelado de chocolate, eu simplesmente não como... Ahahahahah!!! Mentira amigos, vou procurar uma geladaria que tenha! Sem gelado é que eu não fico! Não dá senhores, não dá! A vida sem chocolates não é uma vida feliz!

2. Calor... Temperaturas abaixo dos 30º é frio para andar de camisola, cachecol e gorro... Estou a exagerar, claro! Mas é uma temperatura fria, que me faz ter as mãos frias e os pés gelados. Acima dos 30º eu sou uma pessoa muito mais feliz, não duvidem.

3. Ler... Ai a resposta politicamente correcta. Ai que ela é uma intelectual. Não sou! Nem uma coisa nem outra. Mas, adoro ler. Viajar nas páginas de um livro, estar lá, viver o que as personagens vivem, conhecê-las, imaginar os locais, as pessoas, as roupas, tudo... Ler é poder passear, viajar, conhecer pessoas e lugares sem sair do sítio.

4. Conversar com "osjamigos"... Beber um vinho, comer uns petiscos e ganhar horas em conversas boas e divertidas, não dar pelo tempo passar e de repente já são quase horas de acordar...

5. Viajar... Eh pá, mas isso toda a gente gosta!... Mas eu gosto mais, pronto! Gostava de o fazer mais, e este é mais um objectivo para 2018, mas já conheci sítios fantásticos, outros nem por isso e muitos aos quais quero voltar, uns porque adorei, tipo Nova Iorque, Moçambique, Caraíbas, e outros porque não gostei mas tenho que lhes dar uma segunda oportunidade, sob pena de ser excomungada, tipo Roma e Miami.

6. Ter dinheiro... Ai, és uma materialista, o dinheiro não é o mais importante e tal... Sim, pois... Ãh-Ãh... Experimentem não ter e depois falamos sobre o tema, bale?... Eu gosto muito de ter dinheiro, faz-me falta e preciso dele para quase tudo na minha vida. Como vêem não sou politicamente correcta, se o fosse ia na corrente do: Há coisas mais importantes... Pois... Também há coisas mais importantes do que o chocolate, tipo cenouras...

7. Jantar fora. Detesto cozinhar a faço-o por obrigação diariamente. Quando for rica quero ter um(a) cozinheiro(a). Mas mesmo quando tiver um cozinheiro quero ir jantar fora, porque sim! Porque gosto, porque é bom, porque me dá disponibilidade para apreciar a paparoca (com tudo o que isso tem de bom e de mau), para apreciar a companhia, para conversar...

8. Escrever. A sério?!?!... Jura! Se calhar é por isso que tens um blog. Pois se calhar é! Mas só agora é que descobriste que gostas de escrever? Não! Já tive outro blog no qual deixei de escrever porque todos sabiam quem eu era e por questões profissionais começou a ser um incómodo para mim. Antes dos blogs eu escrevia no papel, diários, folhas, cadernos e cartas... Só que eu gosto da escrita partilhada, escrever em papel é muito solitário.

9. Dormir... Oh céus... como é que eu não coloquei isto logo no número um?... (Apesar desta lista não ter qualquer ordem de prioridade) Adoro dormir. Dormir nunca é uma perda de tempo. Dormir é sonhar, é, mais uma vez, poder estar com pessoas, visitar lugares... E tem uma vantagem incrível: descansa!... Ah! E é quentinho!

10. Viver... Ai, mais um cliché... Seria, se eu não tivesse um medo enorme de morrer, lá está! E viver é muito fixe e eu estou grata diariamente por estar viva... às vezes também é uma merda, mas na generalidade é maravilhoso.

11. Ténis e chinelos! Sou um pé de chinelo, eu sei! Já desisti há muito dos sapatos apertados e dos saltos altos, não há nada mais doloroso do que ter dores nos pés. Chinelos, chanatas, sandálias, o que quiserem, no Verão, pézinho a apanhar fresquinho, arejado e sem dores. Já no Inverno, e muitas vezes no Verão (à noite por exemplo) uns ténis. Confortáveis, giros e super-práticos. Chanatas e ténis ao poder!!


Podia continuar por aqui fora, há muita coisa que me faz feliz, mas 11 parece-me um bom número. Não referi o que mais feliz me faz, e o que mais me azucrina a cabeça: As minhas filhas. Outra, são os animais em geral e a minha cadela em particular.... E claro o marquês, os meus amigos e família. Mas como não são coisas não incluí nenhum... 


Amanhã é dia de ir ao reumatologista e ele não faz porra de ideia do que se passa comigo...

Ora bem, amanhã é dia de ir ao reumatologista...Mostrar exames, análises e fazer perguntas... Como ando nisto há pouco tempo (mais ou menos 7 meses), ando completamente "à toa". Diz que o meu doutor reumatologista é especialista no tema e tudo e sabe mesmo bué sobre a minha síndrome, mas o doutor reumatologista não é muito dado à conversa e vai daí guarda toda a sua sabedoria para ele, e eu saio de lá completamente "às aranhas"... Ando a pensar mudar de doutor reumatologista mas, tal como vos disse, ando nisto há pouco tempo e não conheço mais nenhum. Assim, tal como diz o ditado "mais vale um reumatologista na mão do que dois a voar", conhecem o ditado certo?

Bem, dizia eu, amanhã é dia de ir ao doutor reumatologista e eu, para além das análises e exames que lhe vou mostrar, tenho a certeza que vou sair de lá na mesma ignorância com que entrei... Já pensei levar uma lista de perguntas mas parece-me sempre uma hipótese tão parva...

Esta síndrome é um verdadeiro mistério para mim, vai-me valendo a net mas essa todos nós sabemos que não é de fiar. Já vou conhecendo o meu corpo, já sei a léguas o que me vai fazendo mal. Mas, o que me vai fazendo mal é uma parte muito substancial da minha vida, nomeadamente a minha profissão. Este ano comecei-o decidida a mudar muita coisa, muito porque quero mas a maioria porque tem mesmo de ser. Acho que esta síndrome me está a obrigar a deixar para trás uma série de coisas que me fazem mal para agarrar outras que me fazem feliz, e eu vou aproveitar o empurrão. 

Profissionalmente terei de mudar muita coisa. Gosto muito do que faço mas não consigo fazê-lo. É fisicamente extenuante e causa-me um grande sofrimento. Ao contrário do que estava à espera, o Inverno tem sido muito mais meu amigo do que o Verão (aiiiii... e o que eu gosto do Verão, senhores....), um dos motivos prende-se com a minha profissão o outro, acho eu que terá a ver com o sol e com o não poder apanhar....aiiiiii.... o que eu gosto do Verão e do sol.... Esta é uma das perguntas que eu tenho para fazer ao meu doutor reumatologista: O que devo fazer para me aguentar fisicamente a trabalhar? E porque raio não posso apanhar sol?... Ele já me disse que não posso mas não me disse porquê e eu acho que tenho o direito de saber. Não será certamente porque ele acha que eu fico mais bonita menos bronzeada... Digo eu!

Neste momento sinto-me mesmo obrigada a mudar muita coisa... Mudar aos 44 não será tarefa fácil, digo eu! Mas é possível, claro que é! É sempre possível, basta querer. E claro, eu quero! 

Quero?!... Há aqui uma margem muito ténue entre o querer e o ter de ser... Uma linha muito fina que os separa... Mas de uma coisa eu tenho a certeza, eu vou mudar muita coisa, apesar de isso implicar muito na minha vida, até nas pequenas coisas que me fazem mal como, gente parva, deitar-me tarde (e eu sempre fui tanto da noite... nunca gostei, nem gosto de acordar cedo. Gosto de ler pela noite fora, de ver séries e filmes...), fazer fretes, estar mais com quem gosto, ter mais amigos e conviver com eles (mais durante o dia, lá está... que o último convívio foi duro e acabou às 5 da manhã... fiquei de cama durante 3 dias... mas foi tão fixe. Depois conto-vos), fazer mais o que gosto, voltar a mudar de profissão, ou pelo menos fazer menos o que mais faço agora, ser mais independente (principalmente financeiramente) o que também pode significar ter mais dinheiro (não, não vou assaltar um banco, sosseguem... Vou trabalhar mais e noutras áreas), escrever muito mais (já que eu gosto tanto e me faz tão bem)... enfim, poderia continuar... Como vêem, não será pêra doce e não são resoluções de ano novo. Poderíamos estar em Maio que eu estaria a escrever o mesmo. O que acontece, e eu acredito mesmo nisso, é que o nosso corpo obriga-nos a parar a mudar o que não está bem, o que não nos faz feliz, "et vóila... c'est ça..." (oh eu a falar estrangeiro...).

Amanhã é dia de ir ao doutor reumatologista e ele não faz porra de ideia do que se passa comigo e acha que eu sou apenas e só um monte de tecido, de células e órgãos portadora de uma síndrome que ele conhece muito bem... Conhece a síndrome mas não me conhece a mim e não faz porra de ideia do que esta síndrome significa na minha vida e, aposto, não vai perguntar...


O Pai Natal é um fonas!

O Pai Natal é um fonas!... Pronto está dito!... Agora tenho quase um ano para me portar bem a ver se ele se esquece que o chamei de fonas. Mas é o que ele é.

Dediquei-lhe um post, com pedidos para o meu Natal, nada de especial e até bastante fáceis de adquirir, afinal estava tudo à distância de um clique e ele... Nada! Nadica de nada! Néribi! Nientes! Nothing.... Deu-me umas coisas bem giras, é certo! Umas camisolas, um livro que eu queria, Ana Karenina de Léon Tolstoi (thanks cunhada, és a maior), uns ténis buéda fixes e giros e tudo e tudo... Agora o que eu tinha pedido... Nada! Nem Vê-lo...

Isto é mais ou menos como os desejos de ano novo, se queres vai lá e faz. Simples, não é?... Vai ter de ser. Já que o Pai Natal é um fonas lá terei de me fazer à vidinha se não quero passar 2018 sem sair do nosso cantinho à beira-mar plantado. E como é que eu vou fazer isso se estou mais ou menos nas lonas, perguntam vocês?... Esta é a primeira acção de 2018. Ah pois é! Pensada em conjunto com a aspirante mais velha, e ainda antes do fim-de-ano... Um pote! Tudo o que eu preciso é de um pote! E claro, depois encher o pote, e... despacito, suave suavecito, poquito a poquito... (Pronto! Já me calei!) e chegamos lá! A ver se não é este ano que os marqueses e as aspirantes vão espalhar o seu charme por esse mundo fora... a ver...

Pessoas giras de vossa marquesa, onde posso eu comprar um pote como o da foto?

Claro que vos quero todos a torcer por esta nossa demanda pois depois conto-vos tudo, como foi, como é, o que se come, etc e tal...

Ps. Fónix! Agora tornei esta cena pública e vou ter de juntar mesmo os troquitos todos para ir de voyage...

depositphotos_30960795-stock-photo-clay-piggy-bank

 

Bem-vindo 2018!!!

Bem-vindo 2018!!!! 

Já chegou o ano novo e com ele as motivações do costume para mudar tudo, inclusive o mundo... Pois... Está certo... hum-hum... a ver se eu acredito nisso...

É por esta minha descrença que o passar de ano já não é o que era... Aqui a vossa marquesa já cumpriu as tradições todas e mais algumas, tudo de uma só vez, de tal forma que ainda me questiono como foi possível comer 12 passas (bleachhh), brindar, beber espumante, dar o primeiro beijo e abraço do ano a toda a gente presente (e às vezes eram muitos), ver o fogo de artifício da janela, tudo isto em cima de um banco com o meu pé esquerdo no ar (que é para entrar o ano com o direito, lá está) e com uma nota grande no bolso (esta parte nem sempre foi fácil, já que para a ter no bolso era absolutamente necessário que a tivesse ponto.), as cuecas azuis novas vestidas, e tudo em 60 segundos... Chiça... que eu entrava o ano cansada.

Pois que a tradição já não é o que era e este ano nem passas comi... Aleluia irmãos... Deu-se o Grito do Ipiranga, o momento de libertação (mais um)... que passas é uma cena horrível... Só gosto, e têm de ser pequeninas, no arroz. Este ano dei um gole de espumante (apre, que aquilo também não presta para nada e é uma cena a acabar já no próximo fim-de-ano. É substituir por um bom vinho ou então um champanhe à séria). Este ano, houve jantar cá em casa, houve festa caseira, com amigos e amigos das filhas, mas das tradições que se impõem, só sobrou o espumante e o ver o fogo à janela... Mais nada...

O ano é aquilo que nós fizermos dele. Não há cá nota no bolso que nos traga dinheiro, e eu que o diga... Não há cá bancos, cuecas, passas e o caraças... Há vontade. Vontade de fazer as coisas de maneira diferente para que o ano corra de maneira diferente. Não pode haver desejos e intenções, mas sim objectivos e resoluções... E hoje é dia 2, depois de passar o primeiro dia do ano a jiboiar no sofá, hoje é dia de arregaçar as mangas e pôr mãos à obra. Um dos meus objectivos é escrever com mais regularidade neste blog, noutros blogues, enfim... é escrever mais. Escrever faz-me feliz e é isso que eu quero fazer cada vez mais.

Bem-vindo 2018!!! Bóra lá ser feliz!

Pág. 2/2