Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

Para já é assim... para a semana logo se vê...

Posso comer castanhas!!! Yeahhhhhhhh!!!!!!!!!!!!!!!!! Viva a dótora da nutrição!!! É a maior!!! Só posso comer 8 castanhas, e antes destas tenho de emborcar uma sopa que é para enganar a fominha, masé, e pensar que comi 30 acamar. A alegria foi de tamanha ordem que esqueci que não posso comer chocolates, nem gelados, nem gelados de chocolate, nem amendoins, nem... WHAT?!?!... como disse, dótora?!?!... minuins?!?!... eu não posso comer minuins?!?!.... como assim, não posso comer minuins?... pois, que não! Pois que são inflamatórios para o meu organismo e a minha síndrome curte bué cenas inflamatórias para se fazer viver e nós-não-queremos-a-síndrome-activa-e-cheia-de-saudinha, vero?

Vou só ali chorar um bocadinho e já volto....

Bem, pelo menos temos castanhas... 8... 8 castanhas, mas castanhas na mesma!... 8... 8... podia ser pior... se fossem 7, mas são 8! Acho que vou ter de ficar feliz por serem 8 e não 7...

- Então e mais coisas, oh Marquesa? (perguntam vocês, em ânsias)

- Estou gorda com excesso de peso....

- Ahhhhh!!! E novidades, há?

- Vou ter de emagrecer e para isso a minha alimentação funcional vai ter menos calorias do que se eu não estivese gorda com excesso de peso.

É isto! A minha vida agora vai se isto! A partir de segunda-feira vocês têm de ser meiguinhos comigo porque eu estarei à beira de um ataque de nervos sensível, pode ser?

- Ahhhhhh... tu és daquelas que começa tudo à segunda-feira... está bem, está!!!

Assim é pois este fim-de-semana tenho uma festa de aniversário e toda-a-gente-sabe-que-festa-de-aniversário-não-é-compatível-com-restrições-alimentares, catano! Portanto, tenho 3 dias para emborcar tudo o que conseguir ao nível dos chocolates, gelados e vinho.
 
O que é que disseste, Marquesa?!... vinho?... Arrrrrrgggggghhhhhhhh... eu não vou poder beber vinho... vocês terão mesmo de ser fofinhos comigo!

Também vou ter de cortar radicalmente no glúten... só por causa disso este fim-de-semana vou fazer quiche, com massa cheiinha de glúten, toma!... - Toma tu, oh Marquesa! Tu é que depois te lixas com dores e cansaço e o camandro... - chatos, vocês!... O glúten até nem é coisa que me aborreça muito, não sou pessoa de pão, massas dispenso e pronto... é isto! Mas o corte não deverá ser para sempre, será até o meu organismo desinflamar, que o sacana está inflamado... para o que lhe havia de dar....

- E é tudo, Marquesa querida do nosso coração? (vocês têm de me tratar assim a partir de segunda-feira, combinado?)

- Não, não é!!! Não minervem.... vocês leiam isto pausadamente, respirem entre palavras, sentem-se bem sentadinhos, que não vai ser fácil, ok? Depois não digam que não vos avisei:

Eu, Marquesa de Marvila, euzinha, a Marquesa mais fofinha do mundo e quiçá de Marvila... Eu, a Marquesa que ilumina o Universo... Eu... pronto! Já chega!

Eu, vou ter de fazer exercício físico todos-os-dias!!!! AAAAAAAHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!

Sim, eu sei que o dótore já mo tinha dito, mas eu esqueci-me... para além da minha síndrome também sofro da síndrome Luís Filipe Vieira e esqueci-me... mas esta dótora fófi-fófi lembrou-me!!!!

Pronto, já chega de sofrimento por hoje! Vou ali comer uns chocolates ou assim...

Ps. Gostei da dótora!... não sei se para a semana o sentimento será o mesmo...

 

Nutrição à medida do freguês...

Já que hoje estou numa de falar de alimentação, então cá vai... Pessoas, vocês preparem-se... preparem-se que eu não estou a conseguir preparar-me....

Amanhã vou à nutricionista!!!!  Que M-E-D-O!!!!!.... Mas não é uma nutricionista qualquer, nada disso! Que por aqui a malta não se contenta com o simples corte nas calorias... a vossa amiga, a vossa Marquesa preferida, eu mesma, vai a uma consulta de nutrição funcional, camandro!

Ahhhhhh!!! Boa, boa!!! Mas o que raio é isso, oh Marquesa? - perguntam vocês. (eu adoro fingir que vocês me perguntam coisas e têm interesse na minha vida!) Então, foi o dótore que mandou! Diz que é uma nutrição com base nas minhas necessidades. Que é uma nutrição que previne e ajuda a tratar/equilibrar as patologias. É uma nutrição à medida de cada caso. É uma nutrição que não conta calorias, que não prescreve uma dieta "chapa 5", igual para todos. Diz o dótore que me vai ajudar a prevenir as crises e a fazer regredir a Sjogren, que vai combater a inflamação generalizada do meu organismo. Que eu até já vou no bom caminho pois não consumo uma série de alimentos inflamatórios como carne e laticínios (ainda vou ao queijo, mas pronto!)

E eu espero mesmo que me ajude... já que as dores ainda não foram embora, o cansaço também não e já agora, queria perder estes 5 quilos ganhos nas férias (se der para perder os outros 4 ou 5 que já tinha a mais antes das férias também não era mau...).

A modos que é assim... Amanhã terei uma pequena história de terror para vos contar já que aposto, 1 rim, que ela me vai proibir gelados, chocolates e gelados de chocolate... e eu vou chorar!... se ela me proibir as castanhas, eu sou capaz de cometer um crime!... as castanhas não, senhores! As castanhas é que não, que agora vem o Outono e são a única coisa que me consola até à primavera!

É por isto que sou vegetariana!

"Atão, mas afinal porquê que te tornaste vegetariana?"... esta é a pergunta que mais ouço quando digo que sou vegetariana (Ovo-pouco lácteo-vegetariana). Normalmente não é uma pergunta inocente. Normalmente vem carregada de escárnio, de superioridade, de gozo... Ora bem, aláber.... Um porque sim! Deveria ser suficiente! Quando a pergunta vem carregada de menosprezo, superioridade e palermices do género, normalmente esta é a minha resposta: Porque sim! ou Porque quero! ou ainda, Porque posso!, um sorriso nos lábios e uma tremenda decepção do outro lado misturada com vergonha.

Muitas vezes a pergunta não se limita a um "Atão, mas afinal porquê que te tornaste vegetariana?", normalmente segue-se um: "A carninha é tão boa... olha eu, como é que eu passava sem o meu baconzinho ou o meu entrecostozito.... ahahahahhahahahahah".... Pois, passavas com menos colesterol, mas isso é um problema teu e não meu. Talvez te tornasses também uma pessoa menos execrável e parva.  Mas, mais uma vez, esse é um problema teu!... como referi acima, a minha resposta é: "Porque sim!". 

Só desenvolvo a questão quando percebo que o interesse da pessoa é genuíno, que quer mesmo saber, que não está a fazer juízos de valor nem a pôr em causa as minhas decisões. E aí eu explico, tal como vou explicar-vos a vós, que não perguntaram nada, mas eu vou dizer na mesma:

Pelos animais, em primeiro lugar! Em segundo lugar pelo planeta!

Mas, vamos por partes. Eu adoro peixe, adoro marisco, tenho uma profunda pena de ambos não serem vegetais, frutas ou tubérculos, mas são animais e só por isso não os como. Por eles! Não por mim, que eu emborco uma data de porcarias que só fazem é mal, tipo açúcar, chocolate, gelados, gelados de chocolate... vá, acorda pá! 

A carne... a carne já não sei se gosto! Não a como há tantos mas tantos anos que nem me lembro se gosto ou não! Seria incapaz de voltar a comer carne. Mas sei que gostava quando a deixei de comer. Adorava enchidos. O meu prato favorito era Cozido à Portuguesa... agora, só de passar perto do talho fico com náuseas. O que está no prato não é um bocado de uma coisa. É um bocado de um animal. Um animal que é senciente, que sofre, sente medo, frio, calor, alegria e tristeza... e só isso faz com que eu seja incapaz de os comer. Não me cabe na cabeça comer um animal. A minha "diaba"?!?!.... eu seria incapaz de comer a minha "diada", então como poderei ser capaz de comer uma vaca ou um porco que têm exactamente as mesmas capacidades que ela? Que sentem da mesma forma que ela?.... Não dá! Não consigo!

E os peixes a mesma coisa... são animais! Sofrem, sentem. Não faz sentido comê-los! Há tanta coisa que podemos comer, tanta coisa saborosa, deliciosa mesmo e que não contribui para o sofrimento dos animais.

Depois o planeta. A indústria pecuária é a maior fonte de poluição mundial. Não há nada que se lhe equipare. Para terem uma ideia, se apenas nos EUA, e apenas um dia por mês, todos os americanos deixarem de comer carne é o equivalente à paragem de todos os veículos motores (carros, barcos, aviões, motas) no mundo inteiro, em termos de impacto ambiental. É brutal! Se continuarmos a comer carne desta forma o planeta não dura muito, não vai aguentar. As Nações Unidas já avisaram, ninguém quer saber. E atenção, que ainda temos a questão da soja. 90% da produção de soja no mundo, que destrói as florestas, serve para alimentar o gado, suínos e aves. Quanto mais aumenta o consumo de carne, mais aumenta a produção de soja. Até aos anos 40 a produção de soja era quase exclusiva para a alimentação de animais. Apenas 10% é para a alimentação humana.

O peixe, esse desgraçado está prestes a acabar nos oceanos. Não há muito mais a dizer sobre o peixe.

Esta é a minha perspectiva! É por isto que não como nem carne nem peixe. Os ovos e o queijo serão os próximos (não bebo leite nem iogurtes, nem como manteiga).

Depois há uma questão que me encanita os nervos... porquê que é tão incómodo para os omnívoros que existam vegetarianos? Em que medida este facto os pode incomodar tanto?... Não entendo! Não entendo onde está o motivo de gozo. Ou melhor entendo... As pessoas têm tendência para gozar por dois motivos:

- Medo. Medo de serem inferiores; medo de estarem do lado errado; medo de serem ultrapassados; medos vários...

- Sentimento de inferioridade: Precisam de gozar com os outros para se sentirem bem.

E ainda, há os que são só parvos! Que, quando se fala em vegetarianismo, aparecem aos magotes!

É por isto que eu não tenho empregada doméstica!

Esta é a verdade... sóquenão!!! Este é o verdadeiro motivo pelo qual não tenho empregada doméstica (não gosto deste termo... mas não encontro outro... mulher-a-dias ainda é pior... aceitam-se sugestões!).

Há uns anos tive empregadas domésticas! - uma de cada vez, acalmem-se! - e como tudo o que é doido vem parar cá a casa, elas não podiam ser excepção, claro!

Pois que tivemos uma que era russa. Nada contra, atenção! Mas tenho que vos dizer a nacionalidade dela para vocês perceberem... é que ela não falava uma palavra de português, uma, senhores!... não estão bem a ver o que era explicar-lhe o que queríamos sem ela falar português e nós sem falar russo... um filme! Depois a senhora tinha medo de cães. Nós na altura tínhamos dois. Então ela só vinha cá a casa ao Sábado, que era quando estávamos em casa. Portanto, nós tínhamos de ficar em casa fechados ao sábado, fizesse chuva ou sol, para a senhora vir limpar, aspirar, passar e todos os "ares" que fazem parte das tarefas domésticas....

Era um filme, senhores! Os cães presos na cozinha (sim, ela não entrava na cozinha, portanto a cozinha não era limpa por ela), nós a mudar de assoalhada consoante ela precisava de limpar. Isto tudo sem conseguirmos falar com ela uma palavra!... se há coisa que me dá cabo dos nervos é não conseguir comunicar com as pessoas. Não as entender nem elas me entenderem a mim... Sábado era um dia de terror cá em casa! Sabem lá...

Eu e o Marquês, sentados no sofá a olhar para a televisão (não ouvíamos nada por causa do aspirador)... os cães possuídos pelo demónio a ladrarem na cozinha (claro que não gostavam de estar presos a ver, pelos vidros da porta, passar uma pessoa que não conheciam e que andava a cirandar pela sua propriedade, a contactar com os seus humanos... um ser potencialmente perigoso, aos olhos deles, e eles sem poderem fazer nada... ladravam, claro está!). Eu e o Marquês calados... com os nervos à flor da pele... a pensar "o que vale é que amanhã é Domingo", ou "quando é que chega a hora de ela se ir embora, camandro?"... a hora chegava, e com a chegada da hora era o momento de nos pormos em acção.... já vão perceber os nervos.... atentem...

Aquela alma sempre, mas sempre, que aspirava, ou seja todos os Sábados, desligava tudo o que era fios cá de casa (o que vale é que ela não ia à cozinha, não quero pensar no frigorífico). Ela era um autêntico bulldozer a aspirar; um ninja do aspirador; ela com uma aspirador na mão era capaz de conquistar o mundo e ia tudo a eito! Tudo, senhores, tudo mesmo! Sabem lá.... a televisão desligada, o computador desligado (quando ela se aproximava do computador o Marquês tinha pequenos avc's. Até que um dia a proibiu de aspirar debaixo da secretária), tudo desligado... mas não era com a mão, nem com jeitinho. Não! Era com a força com que martelava o tubo do aspirador contra tudo... Não aguentámos... dispensámos a senhora! Ou ela seria responsável pelos nossos remédios precoces para tensão arterial.

Depois veio outra senhora! Falava português! Yeahhhhh!!!!! Entendiamo-nos perfeitamente! Era uma simpatia! Eu gostava muito dela, mas.... já vos disse que tudo o que é maluco vem parar cá a casa, não já? Esta não tinha medo dos cães. Até gostava deles e eles dela (descobri que andava sempre com um pacote de bolachas Maria no bolso e ia-lhes dando... como não haviam eles de gostar dela?). Não precisávamos de ficar em casa enquanto ela a punha num brinquinho e aspirava tudo muito bem (já vão perceber, mas preparem-se, pessoas. Sentem-se e esperem o inexpectável).

Em primeiro lugar esta pessoa adorava limpar. Limpava tudo! Mesmo! Um dia cheguei a casa mais cedo, graças a todas as divindades! Se não hoje poderia bem ser um sem abrigo... ou não! Pensando bem, poderia estar presa! Um cheiro a gás... a senhora limpou o fogão tão bem que deixou os bicos ligados. Tive de passar a desligar o gás na torneira principal para ela limpar à vontade sem explodir nada nem ninguém. 

Uma vez limpou tão bem o fogão, esse seu velho amigo, que lhe tirou a tampa para nunca mais ninguém ter conseguido colocá-la no lugar... faltavam peças e eu tenho mais onde gastar o dinheiro. Ficou assim, sem tampa mesmo!

Mas a cereja no topo do bolo, vá sentem-se masé, foi um dia que o Marquês chega a casa e não há luz. Vai ao quadro e estava desligado. Liga-o! O quadro dispara. Liga-o novamente e sai de casa. Eu chego. Não há luz. Ligo o quadro. O quadro dispara. O Marquês chega e estamos os dois numa de liga-dispara-liga-dispara-e volta a ligar o quadro, e a pensar: Que raio.... Nisto eu entro na cozinha, um lago! A água vem da despensa. Porra! O que se passa aqui? Isto deve ser um curto-circuito! Abro a porta da despensa e a caixa da aspiração central está a jorrar água. Catano! O que se passou aqui? Água na aspiração central?... na despensa?!?!... que raio é que aconteceu nesta casa? Desligámos a aspiração central da ficha e o quadro não voltou a disparar.

Eu e o Marquês a tentar descortinar o que raio tinha acontecido nesta casa... não conseguimos! Não chegámos lá. Liguei à senhora. Conversa:

Marquesa: - Oh X, quando esteve cá em casa havia luz?
X: - Sim, havia.
M: - Sempre?
X: - Sim. Mas porquê?
M: - E o aspirador funcionou bem?
X: - Sim. Aspirei a casa toda.
M: - Toda?
X: - Sim! Toda.
M: - Toda, como?
X: - Toda, mesmo.
M: - Mesmo?!?!?... Mesmo, como? explique-me lá como, onde e o quê que aspirou?
X: - Comecei na sala, aspirei a sala toda, sofás, tapetes, cortinas; Passei aos quartos, chão, tapetes, cortinas... (deveria ficar por aqui... mas não! Não no palácio da Marquesa) e de seguida passei para a casa de banho (pára tudo!!!)...
M: - E aspirou o quê na casa de banho?! (perguntei a medo... muito medo...)
X: - O chão, e os ralos...
M: - oi?!?!... Os ralos?!...
X: - Sim! Tinham cabelos e eu aspirei os ralos do lavatório e...

E dá-se o momento em que, esta alma, vai buscar água ao Tejo. Esta pessoa aspirou os canos da casa de banho, senhores...


Pronto! Neste momento eu tive um avc e um enfarte... desfaleci... quando recuperei desatei a rir e mal conseguia contar ao Marquês o que se tinha passado.

A aspiração central foi à vida, para todo o sempre e comprámos um aspirador daqueles com rodinhas. A senhora já não trabalha cá, mas não foi despedida, emigrou! Foi aspirar outros canos e tirar água ao Tamisa, ou assim...

Ainda há uma história de 2 pássaros mortos e um despedimento voluntário e abrupto no mesmo dia, mas não vos quero maçar mais... fica para outro dia! 

Desafio das 52 semanas: Semana 38

20817683_bPD0p.jpeg

 

Ora voltamos às segundas-feiras, pois então.... e pois então cá vai:

Desculpa, mas acho reles...

Eh pá... tanta coisa, mas tanta coisa que nem vos passa pela ideia! Mas como não quero que tenham que ler este post em vários capítulos, qual romance de 400 páginas, vou resumir. Falar-vos-ei daquilo que acho mesmo, mesmo, mesmo muito reles, claro que correndo o risco de deixar tantas outras coisas igualmente importantes de fora.

Uma das coisas que acho mais reles é a apetência, o regozijo, a idolatração do sofrimento animal. Não consigo conceber, entender, mesmo que faça o pino (que não faço, atenção... ainda tenho amor às minhas costas, cabeça, braços, e por aí fora) para ver de outra perspectiva, não consigo entender e acho profundamente reles a incapacidade de empatizar com outro ser senciente que, não sendo humano, sofre, sente frio, calor, dor, alegria, pânico, êxtase, que brinca, que corre, que pula e que, pasmem-se, confia no ser humano... confia nas mãos que o cuidam, que o alimentam, que lhe dão guarida. Mãos essas que um dia o traem e o apunhalam sem dó nem piedade, que o atiram para uma arena onde uma quantidade, apesar de cada vez mais pequena (não há quem segure a evolução, felizmente) ainda é considerável (1 pessoa, nestes casos, é uma multidão), de pessoas aplaudem e gritam "Olé", gritam, riem enquanto há um ser senciente (tão senciente como os demais) que sofre, sangra assustado, com dores e medo, enquanto lhe espetam farpas no lombo, sob os mais variados argumentos: é tradição (este é tão mas tão inqualificável... como se a tradição justificasse alguma coisa para além da falta de argumentos); é arte (?!?!?!?!.... a sério?... há quem consiga ver arte no sangue e no sofrimento em directo e a cores?!?...); o bicho não sofre (as crianças há 100 anos também não tinham alma! Agora já têm, felizmente!); o animal gosta (sim! Para muito "boa" gente a mulher também gosta de levar porrada...).... E por aí fora! Não interessa o argumento! Não interessa se há quem gosta! É reles, profundamente reles gostar de ver outro ser a sofrer, seja ele um cão, um gato, uma zebra, um touro... 

Outra coisa que acho profundamente reles, que me revira as entranhas, que me faz ter vergonha da espécie à qual pertenço é a injustiça, principalmente quando esta vem hipocritamente castigar as vítimas... sejam elas quem forem! Ninguém tem o direito de magoar ninguém, seja qual for o pretexto (tal e qual como o caso referido no parágrafo anterior). A luta do mais "forte" (não considero forte quem não está taco-a-taco com o outro) com o mais "fraco" (não considero fraca uma vítima de abuso), o abuso sob que forma for é repugnante. Uma pessoa é tão mais reles quanto consegue abusar de outra. Falo do machismo, da xenofobia, da homofobia, racismo... é reles! É nojento! É repugnante! Principalmente porque quem o é acha-se superior e como tal considera ter o direito de abusar do outro. Porque para gente assim o outro não é nada!

Ilustro o parágrafo acima com o caso da Injustiça proferida na passada semana no Porto, relativamente ao caso da mulher abusada sexualmente numa discoteca, por dois funcionários da mesma, quando estava inconsciente... aqui, o caso é ainda mais grave pois temos o tribunal, aqueles senhores que deviam defender as vítimas e castigar os agressores, a considerar que o abuso não deixou marcas graves, dado a senhora estar inconsciente (devido à ingestão de álcool) e porque os reles abusadores (homens à grande, ãh?!... para conseguirem seduzir uma mulher têm de a ter inconsciente e mesmo assim não conseguiram... tiveram de a violar! Valentes!) foram fofinhos e não a magoaram... Âh?!?!?... como disse, senhor juiz?!?... então, a ver se eu entendi... há a violação grave, a violação média e a violação fofinha, é isso?!... e se fosse com a sua filha, também fazia esta distinção? Quando é que vamos (como sociedade, e através da figura dos legisladores) olhar para todas as violações de forma igual? Uma violação é uma violação! Uma violação ocorre quando há relações sexuais não consentidas independentemente de ter deixado uma nódoa negra ou ou membros todos partidos. Uma violação deveria ter sempre pena máxima! Depois agravando-se consoante as ofensas corporais e físicas deixadas (mas seriam agravantes e nunca atenuantes). Não pode haver atenuantes para uma violação. A vítima até pode andar nua na rua, ninguém tem o direito de a forçar a ter relações sexuais. Quando é que vamos entender isto?....

Podia continuar por aí fora... há tanta coisa mesmo reles! 

 

Neste TAG participam para além de mim, a 3ª face, a Ana, a Ana Paula, a Catarina, o Carlos, a Carlota, a Charneca em Flor, a Daniela, a Desarrumada, o David, a Fátima, a Gorduchita, a Happy, a Hipster Chic, a Isabel, a Mãe A, a Mariana, a Maria Mocha, a Mimi, a Paula, o P.P, a Sweetener, a Sofia, a Tatiana, a Tita e o Triptofano

Cá estou... ora deitada ora estendida...

Olá, gente gira!!! Como estão v. Excelências?... hum?!... bem!, assim espero!

Eu cá estou... pareço o menino Jesus, umas vezes estendida umas vezes deitada... é isto, basicamente! Salvo algumas interrupções para ir à formação.... aqui estou!

 

Atão, mas não reages? Anima-te! Vai ver a rua, que o dia está lindo!... pensam vocês... não dá! Tenho de respeitar o meu corpo e dar-lhe descanso. A ver se no fim-de-semana me ponho fina, já que tenho de trabalhar... 😬 Vai ser duro, pessoas! Se não melhorar amanhã isto vai ser duríssimo.

 

Estou desconfiada, mas sem certezas, que a ida à praia fez acordar o monstro adormecido... que fez a síndrome fica activa... e eu que andava tão bem nos últimos meses, caramba...

 

De maneiras que é isto... vou lendo, indo à net (no telemóvel, coisa que não aprecio muito), vendo televisão... e agora deu-me a saudade e vim aqui conversar convosco! 

 

Digam coisas!... como vai a vidinha?

Síndroma is on fire!!!

Sábado trabalhei, como já vos tinha dito. Foram muitas horas de trabalho em condições adversas. Um calor dos diabos, ao sol uma boa parte do tempo, e em pé cerca de 9/10 horas...

Já há uns tempos que não me sentia assim... Não foi só do dia intenso de trabalho (que muito agradeço e venham mais), pois esse já o fiz com alguma dificuldade. Nos últimos dias sinto-me em baixo... O meu olho não está nada melhor e está a incomodar-me muito. Ter o raio de uma "mosca" preta constantemente à frente do mesmo, um nublado intermitente, uma pressão, a secura que me arranha constantemente, entre outros fenómenos paranormais, não é tarefa fácil. Voltei a ter dores nas articulações, o que é uma grande merda! Custa-me mexer os dedos das mãos e dos pés, agravados com cãibras... Como só comigo é que estas coisas acontecem, no sábado ainda levei uma pisadela gigante no meu pé direito que ainda me dói e não é pouco... Raisparta! E depois há o cansaço... hoje, se me deixassem e eu pudesse, ficava na cama todódia, era! E era menina para dormir todódia mesmo! Tenho ainda a glândula salivar esquerda inchada, dói comó raio... comer é uma tortura neste momento! Também me dói o estômago, fónix!...

Talvez seja melhor parar a análise por aqui... se me puder a verificar tudo ao pormenor vou encontrar mais coisas que me doem. Parece parvo, mas é uma realidade! Eu tenho tanta maleita junta que há algumas que mal as sinto pois são abafadas pelas outras que me custam mais.... 

Vamos ver como vão correr os próximos dias... para já, para já não me vou desgastar muito, vou-me poupar que é para ver se a bicha se acalma e regride de vez...

Bem-vindos à minha realidade! Síndroma de Sjogren is on fire!!

Ponto positivo: Ainda bem que não tenho bilhete para is ver os U2... era capaz de não conseguir ir...

Tenham um excelente dia de praia, masé!

Que grande vida a tua, oh Marquesa!! - dizem vocês, claro! - Praia durante a semana e tal... ele há boas vidas!!!

Há sim, senhora! Há vidas do catano! E eu seria muito feliz se tivesse ido à praia durante a semana e hoje também, e mesmo assim tivesse dinheirinho na conta para ir outra vez no fim-de-ano, mas desta feita para as Caraíbas ou assim... que nessa altura a praia por cá não é muito agradável.

Mas dá-se o caso de estarem uns 30 e tal graus, no santo dia de hoje, e eu estar a trabalhar!... Ricas vidas têm vocês, masé! Que eu hoje vou trabalhar pra lá de 13 horas seguidas debaixo desta brasa!... Claro que isto não é uma queixa, é uma constatação de factos... venham muitos mais trabalhos destes que me tirem muitos e muitos sábados de praia... é da maneira que vou mesmo passar o fim-de-ano às Caraíbas! Para além de que fazer praia durante a semana é todo um outro nível de experiência agradável!

Hoje quando mergulharem nas águas do oceano ou nas águas da Epal piscina, pensem em mim fáxavore e nos litros e litros de água que eu estarei a destilar... é mentira! Eu não transpiro! Graças à amiga síndrome, o meu sistema interno de arrefecimento é deficiente e em vez de transpirar água da boa fico afogueada e pronta a desfalecer!

Protantus é isto!!! Ide lá mergulhar masé, e tomar mojitos e caipirinhas, beber umas jolas e petiscar... mas pensem em mim, está bem? Pode ser que por osmose eu consiga sentir o mesmo que vós!

Desafio das 52 semanas: Semana 37

20817683_bPD0p.jpeg

 

Presente!!!! Ora cá estamos, então... e eu que até ando a chegar a horas, catano!

O que, de melhor, o mundo virtual me trouxe/traz?

Ora bem... escrever! Escrever sem ser para apenas para mim e para o boneco (esse querido que ama de paixão tudo o que eu escrevo e faço! ). 

O mundo virtual tem-me dado coisas para lá de boas. Conheço blogs fantásticos, aprendo coisas novas, conheço espaços e produtos, aproxima-me de quem está longe. Também tem coisas más, como tudo na vida... esta dicotomia da vida que não consegue limitar-se à parte boa, tem sempre de haver um reverso... Mas pensando apenas nas partes boas: O mundo virtual já me trouxe de volta amigos que julgava perdidos pelo tempo e para sempre, vejamos:

- Ex-colegas e amigos de escola que julgava que nunca mais iria ver e que, não só revi, como me ajudou a organizar um jantar com muitos deles. Evento a repetir bi-anualmente, e que foi pra lá de fantástico!

- Reencontrei, há bem pouco tempo, amigos meus de infância, da minha vila em Lisboa que já pouco existe e que me habita o coração para sempre e de forma presente. 

Traz-me a possibilidade de conhecer as pessoas, o ser humano, mais uma vez, com tudo o que isso tem de bom e de mau. Eu sou fascinada pelo ser humano e pelos seus comportamentos sociais e sociológicos.

Ajuda-me a exorcizar o que me atormenta, a enfrentar o futuro com mais alegria, e colocar humor na minha doença crónica, a relativizar o que não interessa, a gostar mais de mim.

E depois trouxe-me VOCÊS! Vocês sois os maiores! Ter pessoas aí desse lado, que nunca me viram mais gorda (e se eu já estive mais gorda, senhores... também já estive mais magra... mas isso agora não interessa nada!) e que me lêem, que me dão um ombro amigo, que têm a palavra certa para me dar em momentos menos bons, que se preocupam comigo, que se riem comigo e de mim... isso é o melhor do mundo virtual. Saber que há quem goste de ler A Marquesa de Marvila, saber que há quem pergunte por mim quando estou uma semana (shame on me) sem escrever, saber que há quem me destaque/recomende, como a Bruxa Mimi, a Joana, a Fátima ou até mesmo os destaques do Sapo (já foram alguns e eu nunca fiz referência a isso...). E quando o Triptofano me convidou a participar no seu blog. Ai senhores, que isto já perece o discurso do vencedor dos Óscares... Não é! Acalmem-se que não vai aparecer por aqui o Brad Pitt (com alguma pena minha) ou Leonardo Di Caprio (com muita pena da aspirante mai'velha e... minha também, vá!) nem a Angelina Jolie (bah!!! Também não interessa nada...).

E pronto! É isto! O que eu retiro de bom no mundo virtual é 100 vezes mais do que o que retiro de menos bom!


Neste TAG participam para além de mim, a 3ª face, a Ana, a Ana Paula, a Catarina, o Carlos, a Carlota, a Charneca em Flor, a Daniela, a Desarrumada, o David, a Fátima, a Gorduchita, a Happy, a Hipster Chic, a Isabel, a Mãe A, a Mariana, a Maria Mocha, a Mimi, a Paula, o P.P, a Sweetener, a Sofia, a Tatiana, a Tita e o Triptofano

Tu hoje não vês nada...

E o que é que a vossa Marquesa favorita resolveu fazer hoje?... (só eu, senhores, só eu!!!). Vá eu pago um café, ou dois, a quem adivinhar...

 

Estão a demorar muito tempo...

 

Resolveu (eu tenho de trabalhar esta questão de falar na terceira pessoa quando me refiro a mim, catano), ir para o curso de formação que está a fazer... - ahhhhh... e o que tem isso? - esperem! Impacientes!... sem os óculos!! Isto vai ser pra lá de divertido! Isto vai ser épico!!! 🤓

Pág. 1/3