Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

Fauna e, pouca, flora no metro de Lisboa!

A fauna no metro deveria ser objecto de estudo aprofundado... teses e teses de doutoramento deveriam ser feitas sobre o tema... Já a flora é bastante mais pacífica dado que não existe de todo no metro!

A malta vai sossegada da sua vidinha no metro (tem dias), e eis que chega a hora de sair... o metro até nem vai muito cheio mas a saída é naquelas paragens em que sai toda a gente então forma-se um aglomerado de pessoas a aguardar que as portas se abram... hoje, até nem foi o dia de estarem todos os que querem entrar na carruagem a impedir a saída dos restantes... hoje o caso era mais patético curioso... ora atentem, à minha frente vai um exemplar da fauna metropolitaniana... uma sujeita que vai-a-jogar-um-jogo-no-telemóvel-que-não-pode-largar-nem-um-segundo-sob-pena-de-perder-o-jogo-e-toda-a-gente-sabe-que-a-vida-do-planeta-e-da-humanidade-depende-da-vitória-naquele-jogo... ufa, cansei-me!... pois dá-se o caso que a sujeita não é multitasking... a sujeita não consegue mexer as perninhas ao mesmo tempo que joga o seu joguinho idiota, não!!! A sujeita bloqueou as perninhas enquanto mexia os dedinhos a clicar que nem uma louca (louca é muito mais dramático do que maluca) o ecrã no seu telemóvel com todo o seu sistema nervoso central conectado com a hipótese de perder o jogo e acabar com a humanidade naquele preciso momento... e dá-se o momento em que a malta que está atrás dela começa a espumar pela boca e a querer empurrar e a malta que quer entrar está prestes a pregar-lhe uma rasteira de forma a que a merda porra (não melhorou, eu sei! Pelo menos é calão e não asneira) do telemóvel vá parar à linha do metro e se acabe de vez a porra do joguinho idiota fofinho.... pior que isto seria (como assisto quase sempre que ando de metro) a porrasinha do joguinho ter sonzinho... e aí vai a malta em modo desesperado, quase em transe, de tal maneira que aposto os meus dois rins que se alguém perguntasse a resposta seria unânime: Deixem acabar a humanidade!... assim como assim uma humanidade em que as pessoas no metro jogam joguinhos parvos com som e empatam a saída dos outros por causa do joguinho, não merece viver!

Senhores do metro substituam a fauna pela flora, por favor... pelo menos as plantas são muito mais civilizadas, catano!