Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

Indignação da Semana #4

Olhá saia pó menino e pá menina!!

Oláaaaaa pessoas!!!! Não sinervem só porque eu ontem não vim aqui botar discurso sobre a "indignação da Semana", bale?... jáquitou para vos pôr a par de tudo! Pois que ontem não levantei a real bunda do real leito pois estive com uma real enxaqueca que não me permitiu vir aqui botar discurso. Mas, para que fique registado, tive saudades vossas!... sou uma fofinha, eu sei!

Pois que eu andei bastante distraída ao nível do Facebook na passada semana e quase não meti lá as fuças para saber de que se indignavam as 'soas desta vez... eu gostava tanto de deixar de ter Facebook que ali não se aprende nada e sóminervo, caneco!... as pessoas (burras) enervam-me o que é que querem?... só tenho Facebook por vossa causa (e também porque tenho uma página profissional... parecendo que não, a profissão é importante), para poder saber sobre o que é que as pessoas se indignam.

Estava quase a semana a acabar e eu a pensar cá para mim: - Tu queres ver, Marquesa da vida das 'soas mai'lindas, que esta semana ninguém se indigna?!? - e PUMBAS!!! Lá vem a indignação!... linda e lampeira por aí fora a desassossegar os indignados e as pessoas normais que ainda tentam chamar os indignados à razão - Num bale a pena, pessoas normais... indignado que é indignado jamais consegue pensar com lucidez e discernimento!... Ouçam a vossa Marquesa preferida!

Pois então, que a indignação desta semana foi o senhor assessor de Joacine Katar Moreira ter ido de saia para o parlamento!!! - Ahhhhhhhhhh!!!!!! E o que temos nós a ver com isso? - perguntam vocês, e eu, e as pessoas (que não são indignadas) no geral - Pois, nada! Basicamente não é da nossa conta! A não ser que a saia seja vossa e aí sim, é roubo e há-que chamar a polícia; A não ser que a saia seja feia e aí sim, há que chamar o esquadrão da moda; a não ser que a saia seja linda de morrer e vocês queiram uma igual e aí sim, há que correr as lojas todas ou então montar um circo de indignação para que o senhor nos diga onde comprou a saia! De resto... oh 'soas, metam-se na vossa vida, bale? E preocupem-se mais com o que Joacine Katar Moreira e seu assessor fazem ou não pelo país e por vossas excelências e menos com o que trajam, pode ser?... dá trabalho, eu sei! Pensar é uma cena que custa e botar discurso preconceituoso sobre a forma como as pessoas se vestem é muito mais fácil!

Ora bem, estes indignados estavam em estado de choque, quase a sofrerem enfartes e com avc's em loop, porque-aquele-senhor (eles não lhe chamavam senhor, claro está! Mas eu recuso-me a compactuar com homofobia e preconceitos)-desrespeitou-a-instituição-mais-importante-do-país (eles diziam isto, se falassem em vez de escreverem) assim, de uma só vez e  respiração sustida. Ora bem, 'soas indignadas, como é que eu vos hei-de dizer isto sem ser à bruta? Sem ferir os vossas cérebros de ervilha preconceituosa?... vocês é que, com essa conversa, estão a desrespeitar não só a instituição mais importante do país, como o país! - Atão, mas como?! - perguntam eles com o cérebro já a fritar. - A nossa Constituição, a lei mestra do nosso país, aquela que tem de ser respeitada por todas as leis e por todos nós, proíbe a discriminação seja ela de que teor for. E vocês, 'soas indignadas, estão a discriminar uma pessoa pelo que ela tem vestido! Portanto se há aqui alguém a desrespeitar alguém ou alguma coisa, sois vós!... de nada!

Agora, vamos à parte chata! Aquela que obriga as 'soas a pensar, a argumentar, a debater, etc... cenas buédachatas que os indignados normalmente não apreciam. Acham que basta um: Mas o senhor desrespeitou a Instituição mais importante do país ao ir de saias!!! - que significa: - Aquele gajo é um *!++^=*** do caraças e vai-me de saia para o parlamento e eu tenho um problema com malta que faz o que quer, é o que quer, sem desrespeitar ninguém, e eu não o faço porque sou um(a) cobardolas e como tal vou-me insurgir e assim fingir que estou do lado "certo"!; Também se pode dar o caso de: - Aquele gajo vai-me de saia para o parlamento e eu não gosto! - Mas normalmente esta gente que apenas não gosta de saias está-se a borrifar para o assunto e não bota discurso sobre o tema. Não gosta! Conforme não gosta de amarelo mas não se indigna por alguém levar uma camisa amarela.

Então, a parte chata diz assim: No início do Século XX, há sensivelmente 100 anos, para ser mais exacta, em Portugal até há cerca de 60 anos, era proibido as mulheres usarem calças! Verdade! - Proibido como? Como assim?!??!?! (e aqui os indignados, que ainda não tinham, ficam com um tique nervoso ao nível do lábio superior); Assim, tipo serem detidas! Assim, tipo nem se atreverem a sair de calças! Assim tipo, a minha avó nunca vestiu umas calças na vida (true story) e a minha bisavó me chamar Maria Rapaz porque eu só andava de calças e de perguntar à minha avó como é que ela permitia que eu andasse de calças. Calças era uma peça de vestuário estritamente masculina. Nenhuma mulher estava autorizada a usá-las. E isto estou só a referir-me a países ocidentais, se falarmos em alguns países orientais ainda hoje muitos proíbem as mulheres de usar calças. Só a título de curiosidade, sabiam que só em 2013 é que França acabou com a lei que proibia as mulheres de usarem calças?... dá que pensar!... ah, esperem... dá trabalho! Deixem lá estar, é melhor levantar as bandeiras do preconceito porque há um sujeito que opta por usar saias em vez de calças!...

Também li por aí, que se assim for qualquer dia a malta vai de bikini ou de palhaço para o parlamento!... isto já desce um pouco abaixo do "ser burro"... este não-argumento é de uma ignorância tão grande que eu fiquei de queixo caído durante 3 horas (tu queres ver que foi por isso que se me deram as enxaquecas?!?! Raisparta!!!)... é um argumento tão parvo, mas tão parvo que nem uma crianças de 3 anos se lembraria dele... mas eu estou aqui para vos salvar e então vamos lá deslindar isto:

- Ora, pessoas, o parlamento não é uma rebaldaria! Ninguém se lembraria de ir de bikini, palhaço ou lantejoulas para lá. Não foi isso que o senhor (ai, caraças, estou farta de chamar o senhor de senhor, o seu nome é: Rafael Esteves Martins) fez! Não! Rafael Esteves Martins resolveu, tal como Joacine, ir de saias. Mas uma saia discreta e apropriada ao local. Não foi de rabo à mostra, nem de lantejoulas nem de saída de praia (pesquisem que eu também não estou aqui para tudo, caneco!), não! Rafael usou uma saia apropriada ao local!... já tinha dito?!... raisparta que já minervaram!

Há aqui outro tema de que ninguém fala, mas eu estou aqui para vocês, minha gente! Eu falo!... A roupa, seja no seu feitio, cor e uso, é apenas e unicamente uma convenção social! - Ahhhhhhh!!!! Finalmente alguém fala disso!... mas o que é isso, oh Marquesa mai'linda? - Vá, agora vou puxar dos galões e pôr a socióloga (sim, eu sou licenciada em sociologia... sou doutora Marquesa, fáxavore) ao vosso serviço: Uma convenção social é aquilo que alguém um dia, a propósito de alguma coisa, resolveu que seria assim e a sociedade não só aceitou como adoptou! Não é uma verdade, não é um facto, é uma crença. Sendo uma crença não é verdadeiro nem falso. Ou seja, até ao início do século XX não existiam roupas de menino nem de menina. Os rapazes vestiam saias e usavam todas as cores cujos corantes existentes na época permitiam. Os rapazes vestiam de rosa e as meninas de azul. Os rapazes usavam saias e cueiros (estes ainda usam), golas redondas, rendas e cetim... - ahhhhhhhhhhhh!!!!.... estás a reinar connosco, oh Marquesa! - Não estou, não! Depois, alguém (o marketing é do caraças!) que fabricava roupa (não me recordo do nome da empresa e não me apetece ir pesquisar) achou que vendia pouco! As roupas serviam para a malta toda e os pais não compravam roupas novas. As da menina davam para o irmão e vice-versa. Então pensou: - Caneco, se houvesse roupa específica para rapazes e raparigas a malta comprava mais! - se bem pensou melhor fez. Assim designaram e a sociedade aceitou, que as meninas vestiam rosa e os meninos azul (podia ser ao contrário! Biologicamente é-nos indiferente. As meninas não nascem a gostar de rosa e os meninos de azul.), as saias e vestidos eram apenas para as meninas e os rapazes passavam a vestir calças a calções (e nunca podiam trocar). Isto iniciou-se no final do Séc. XIX início do Séc. XX. Em Portugal, no início do Século XX ainda era assim (sempre fomos um pouco mais atrasados). Só a partir do Séc. XIX é que os homens da nobreza começaram assumidamente a usar calças, até aí usavam colottes, collants e umas casacas por cima que pareciam saias.

Pronto, agora que já vos esclareci um pouquinho, que já minervei e desinervei, vou trabalhar, masé! A título de curiosidade, estou de calças! Raramente uso saias!

Deixo-vos com mais um pensamento, Teodora Cardoso, foi a primeira mulher a entrar de calças no Banco de Portugal!... ela começou lá a trabalhar em 1973!

O último pensamento: Deixem-se de merdas, masé!!!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.