Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

Moro num país tropical...

Moro num país tropical, abençoado por Deus e lá-lá-lá-lá.....

Aqui os meus deuses não dormem, pessoas! Não sei como é com os vossos, mas os meus estão sempre a postos e prontos a servirem-me.... não querem que me falte nada, os fofos!

Vocês sabem, que são pessoas atentas, que aqui a vossa Marquesa anda a chorar pelos cantos uma ida aos trópicos (e a chorar outras coisas mas isso agora não vem ao caso)... Vocês sabem (não sabem, mas eu digo-vos) que já não vou aos trópicos vai pra-lá-de-uma-vida, que é como quem diz já muitos nasceram e morreram entretanto... já foi há tanto tempo que já nem sei se me recordo do caminho ou se não terei de me fiar no GPS (esse querido com voz de gaja que me diz para onde ir e eu, obediente, vou) da próxima vez que quiser lá ir. Acho que a última vez que fui aos trópicos ainda a República não tinha nascido e ainda se escrevia muita coisa com PH (não vos digo o quê, pesquisem, masé)... é o que dá passar de rica a pé de chinelo... não que eu quando era rica não fosse pé de chinelo que era, não há nada melhor do que andar de chinelo no pé, senhores! Mas ao menos tinha buéda cenas, e viajava... ai que saudades de viajar... agora, até para ir à Costa de Caparica tenho de contar os trocos, camandro!

Bem, mas dizia-vos eu, os meus deuses, anjos e santos e... essa malta toda que zela por mim, resolveu que, a saber: dinheirinho não, que conspurca as pessoas, viagens também não que depois toda a gente morre de saudades de sua Marquesa, então vai daí mandaram vir os trópicos para este belo jardim à beira-mar plantado, o nosso Portugal!

Esta noite, people, eu até consegui ouvir o reggae a tocar entre os trovões, e o cheiro a diaba molhada (cheiro a cão molhado é do pior...) a ser substituído pelo cheiro a praia e maresia... o batido matinal quase me soube a água de côco... mentira, que eu não gosto de água de côco, soube a batido de beterraba mesmo e ainda bem. E vai daí que hoje acordei a pensar que estava no Brasil, Caraíbas, Moçambique... sei lá, num qualquer país tropical cheio de calor, chuva e trovoada da grossa... mas afinal estava no mesmo sítio onde tinha adormecido... o palácio!...

Os meus deuses têm um lema: "Se Maomé não vai à montanha vai a montanha a Maomé", eu não sei o que Maomé acha disto, mas eu prefiro ir aos trópicos do que os trópicos venham até mim...

Ps: O pior disto tudo, senhores, atentem nesta desgraça, é que a fruta de Verão este ano vai ser uma bosta (sim, escrito assim mesmo! Há que chamar a bosta de bosta!) por causa deste tempo de cocó... (sim, há bosta e cocó escritos na mesma frase).

9 comentários

Comentar post