Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

Oftalmologista precisa-se!!! Please!

Lá ando eu, outra vez, na saga dos médicos... desta vez peço a vossa ajuda, se puderem!

Pois que fui, de novo, ao dótore. Desta vez ao dótore dosjólhos. A minha amiga síndrome (sim, eu trato em condições quem me vem visitar, mesmo sem ser convidado), uma das (milhentas) coisas que provoca é problemas ao nível ocular. Olhos secos, muito secos mesmo, tipo sentir areia constantemente dentro dos olhos, foto-sensibilidade e outras cenas que não sei os nomes (não sou nada dada a doenças e a conhecer os seus pormenores... temos pena!) mas que têm de ser muito bem vigiadas.

Ora, um dos problemas do olho seco, para além de me impedir de chorar quando estou triste e preciso de purgar (parece que não mas custa comó diábo não conseguir deitar lágrimas de tristeza), ou quando corto a cebola (um ardor, senhores... vocês sabem lá...), é que tudo e qualquer coisa (vento... uma desgraça o vento!, ar condicionado, sol, poeiras, areia...) pode, não só, irritar os olhos como feri-los. E, caras pessoas, ferir os olhos pode ser grave. Mesmo muito grave. Vai daí eu vou regularmente ao oftalmologista, e ando sempre com gotas na valise, e tenho de dormir sempre cim um gel nosjólhos.

Ora, dá-se o caso de que este Verão, mais uma vez, tive a chamada crise dosjólhos (não é assim que se chama mas eu chamo). Ardor, sensação de areia nos olhos, incapacidade de abrir os olhos (é horrível. Para saber mais ou menos o que é, experimentem abrir os olhos junto a uma luz fortíssima sem os desviar... terrível, não é? É o que eu sinto. Por algum motivo esta era uma técnica utilizada na tortura de prisioneiros), sensação de estarem-me a pressionar os olhos e dor. Quando um dia depois a crise melhorou, fiquei com o olho esquerdo enevoado, sempre com a sensação de pressão, dor ocasional e sempre, mas sempre a ver uns rabiscos pretos (pessoas da minha vida... não queiram ter sempre à frente da vista rabiscos pretos que nem sequer conseguem desviar). O que é que eu fiz? Fui ao oftalmologista.

O dótore oftalmologista receitou-me umas gotas com corticóides, disse que eu tinha uma cena, que eu não sei o nome, nos dois olhos, mas o esquerdo estava pior.. pelo que percebi era uma cena ao nível de ter os olhos feridos, ou assim... e que o rabisco preto e o enevoado é da idade! Ora porra! A pessoa está a caminhar para idosa mas ainda não chegou lá, camandro! E dá-se o caso de que as gotas terminam hoje e eu não estou melhor...

Ainda por cima, a minha síndrome tem muito a ver com olhos, um dos especialistas que quem tem esta síndrome tem sempre de consultar é um oftalmologista, que aliás, foi descoberta pelo senhor Sjogren (daí o nome da síndrome! Síndrome de Sjogren) que era o quê? Acertaram.... Oftalmologista!

Alguém por aí conhece um oftalmologista mesmo, mesmo bom? Um daqueles que percebe de olhos e tudo?

4 comentários

Comentar post