Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

A Marquesa de Marvila

Aqui não se aprende nada... Lêem-se coisas escritas por mim, parvoíces na maioria das vezes mas sempre, sempre verdades absolutas (pelo menos para mim).

É a dar tudo...

Agora é que é, caraças! Agora é que ninguém me segura... talvez seja melhor ir mais devagar, catano! Ainda me aleijo, masé!

Fui onde, fui onde?!... Alvíssaras para todos!!! Ao dótore, claro! Onde mais haveria de ser?... já que as Caraíbas estão caras e agora diz que está lá Inverno...

Pois que fui ao dótore, pois que me mudou alguma medicação (para quem chegou agora, eu para além de doida tenho uma doença crónica ao nível das auto-imunes), pois que me falou de novo na alimentação e.... e... e.... vocês segurem-se que isto vai ser duro! Vai ser como levar com uma tábua com ferros nas fuças a alta velocidade... (pelo menos para mim foi!) e... e... exercício físico!

Ohhhhhhh (desilusão nas vossas bonitas faces... que eu vejo tudo!)!!!!! Ohhhhhhhh!!!!!!.... Só isso?!?.... mas ele já não te tinha dito isso?!.... Maisómenos... ele tinha dito que eu tenho de fazer exercício físico, ponto! E eu tive um pequeno avc perante tal perspectiva... agora disse-me assim, atentem, senhores, atentem:

- Tem de fazer exercício físico TODOS OS DIAS!!!

Claro que tive de ser reanimada! O que vale é que o dótore sabe reanimar pessoas... foi a minha sorte, e a vossa se não já não me poderiam ler e o que seria de vós sem a minha escrita?!...

Já recomposta o dótore continuou, como se nada se tivesse passado... eu ainda olhei para trás não fosse alguém estar ali posicionado e o dótore estar a consultar duas pessoas ao mesmo tempo (há que rentabilizar.)... mas não estava ninguém! Ele estava mesmo a falar comigo...

- Tem de fazer exercício físico todos os dias, e ir da cama para o sofá não conta como caminhada.... Ora bem... tem de fazer uma actividade que fortaleça os músculos e corrija a postura, tipo Pilates ou Yoga, por exemplo (e eu neste momento saí do meu corpo, planei por cima da sala e fiquei lá num cantinho a levitar e a ver o dótore a debitar assunto para aquela desgraçada que ali estava...), tem de fazer uma actividade mais cárdio, tipo natação, corrida (ahahahahhahahahahah!!!! Só se vier um rinoceronte atrás de mim... diz que são agressivos e correm bastante), luta (ahahahahahhahahahahah!!!!!!! Eu, sou da paz!), dança (ahahahahhahaha!!!! Já em delírio... eu tenho dois pés esquerdos, e dançar cansa muito, catano!), e ainda tem de fazer uma actividade de meditação (pronto! Agora já estamos a falar a mesma linguagem! Essa eu sou capaz de fazer!.... "Ahhh... mas também tem de fazer as outras".... chato, camandro! Eu pago-lhe para ele me tratar assim?!...).

De maneiras que a minha vida agora vai ser isto... só não sei é quando... ele isso não me disse e eu não perguntei... pode ser depois de falecer?... é que se for antes eu sou capaz de me finar com tanto exercício físico... e tenho para mim que o meu organismo é capaz de me abandonar e fugir de casa com tanta actividade... pode mesmo ser considerado maus tratos, não pode?...

Claro que esta epopeia começou bem, nem vocês esperavam outra coisa, não é?... Ontem, chegada ao palácio fui-me entreter no Instagram, esse paraíso de gente fitness e saudável, e deparo-me com uma página de uma lade que faz crossfit e é fitness e treina todos os dias (esta malta não faz exercício físico, esta malta treina, minha gente!... é todo um outro nível!... ainda hei-de lá chegar... ou não!), e tudo e tudo, e... estava lesionada! Aleijou-se! Doía-lhe um ombro, oh lá o que era... E eu, porra! Coitada! E o dótore quer que eu me meta nisto (sim, ele também me falou em crossfit, mas eu nessa altura já estava a levitar e a ouvi-lo lá ao longe, como nos sonhos... uma voz distante e distorcida...)?... esta jovem, que tem menos 20 anos que eu (ela era criança, tinha uns 5 anos, mais ou menos...), é toda fitness, não tem preocupações nem doenças, nem artroses, nem artrites, nem bicos de papagaio, nem as cruzes enferrujadas, aleija-se assim, o que me acontecerá a mim?!...

Eu acho que se conseguir ir da cama para o sofá e vice-versa, pelo menos 3 vezes ao dia, serve como actividade física de alta intensidade e não deve aleijar tanto...

Um problema de pele...

Como já tive oportunidade de vos dizer, fui à dermatologista. Ora a sô dôtora, receitou-me um creme xpto para a cara. Diz que retém a água mas sem ser oleoso...

Eu estou farta, fartinha de gastar dinheiro em cremes que depois são uma m***da para a minha pele. Eu sou pessoa pouco dada ao despender muito tempo em tarefas várias, nomeadamente ao nível da beleza... não é falta de tempo é mesmo falta de paciência, vulgo preguiça. Vai daí que quanto menos mistelas produtos tiver de utilizar na minha rotina diária melhor. Mas... atenção... mas, eu sou pessoa para ter sempre a pele hidratada, ou tento, vá, que não tem sido fácil encontrar um hidratante bom para mim.

Um dos sintomas da minha amiga síndrome, é a pele seca, não por falta de óleo mas sim por falta de água, comichões, escamações e outros ões diversos, para além da alergia solar. Ora, a minha pele é mista, logo não posso botar um creme gorduroso nas minhas fuças, sob pena de parecer um farol. Depois eu tenho alergia ao sol, logo tenho de pôr protetor solar. Depois sou gaja e gosto de ter uma corzinha na cútis facial... é muita informação e muito mistela produto junto... daí o meu problema.

Lá fui à dermatologista que, perante as minhas queixas me receita um creme hidratante. "Ahhhhh!!!! Ok! Dótora, atão temos cremezinho hidratante para por na face... atão e o resto? Tipo protecção solar?...."; "Também tem de pôr, diz ela! Esta marca tem uns bons!"... Quais?, perguntam vocês, e eu também... Ninguém sabe. Uns muito bons! Seriam bons se eu não tivesse um problema de pele, mas tenho!

Então, dá-se o caso de eu precisar de:

- Desmaquilhante que não me entupa os poros, que não me deixe a cara oleosa e não me resseque a pele;
- Creme hidratante, não oleoso que retenha a água;
- Protector solar, que não me deixe a pele a brilhar como um farol mas que também não ma seque (já vi que há gordos e matificantes, mas para mim nem um nem outro servem...);
- Um bb cream, ou uma cena qualquer com cor mas que não esfarele (a minha pele sem água tende a esfarelar) nem ma deixe oleosa.

E tudo isto sem parecer que betumei a cara. Odeio caras com betume!

Será que estou a ser muito exigente?!?... 

Não me apetece comprar o creme que a sôtora receitou pois não sei se será bom para mim, já que ela nem olhou para a minha cara...

Estou tentada a pedir amostras às marcas...

Sugestões, quem tem?

Médicos, médicos... Outra vez os médicos...

Médicos, médicos.... Já há muito tempo que não falava destes meus velhos amigos (nop)... Desde a última vez que tive de lá ir... as minhas experiências com médicos raramente são positivas.

Cada vez gosto menos deles... é triste mas é verdade... Pouco são os médicos que estão efectivamente ao serviço do cliente/utente/doente (depende das situações); Muitos são os médicos que estão ao serviço do seu ego e de mais qualquer coisa que não sei definir...

Ontem fui ao médico... o melhor, à médica. Uma senhora muito simpática (a sério, sem ironia, que eu também sou pessoa que sabe ser séria) e tal... a sua especialidade é dermatologia. Ora, a minha querida amiga síndrome dá-me muita chatices ao nível da pele. Ele é alergia insuportável ao sol, ele é pele seca mas mista (ou seja, não é falta de óleo mas sim de água), ele é comichões, babas, feridas, vermelhidões, escamações... então lá fui eu, toda lampeira para a consulta.

Ora, a consulta foi coisa para demorar uns estrondosos 10 minutos. Eu sei que a malta tem pressa, que a vida não está para demoras, que há muito que fazer e que tempo é dinheiro, eu sei isso tudo! Mas, médicos, amores de mi vida, do outro lado está uma pessoa, bale? Não é uma qualquer estrutura que basta olhar, botar a mão no queixo e "Ora vamos lá ver... é botar mais um bocadinho de betão e cortar ali a esquina e está pronto!". Não! A malta é uma pessoa, gente, seres humanos (uns mais humanos que outros, é certo, mas mesmo assim humanos). A ciência já sabe há uns anos que os humanos são seres sencientes (médicos, seus fofos, significa que sentem! Têm emoções, dores, sensações térmicas... essas coisas chatas que nos diferenciam de uma parede).

Eu também sei, que sou moça com alguma inteligência, que os médicos salvam muitas vidas. Não é isso que está em causa. Muitas vezes as vidas são salvas com o doente inconsciente, não há como não confiar no médico, certo?

Eu estou a falar de pessoas como eu, que têm doenças crónicas e outras que têm doenças agudas, que vão ao vosso consultório. Essas pessoas merecem, não só ser vistas (olhadas, mesmo), como devem ser entendidas no seu todo. Se eu digo: "Tenho receio de tomar determinado medicamento por causa dos efeitos secundários...", não basta dizer: "Vai-lhe fazer bem! Vá, tome lá a receita." Eu tenho 44 anos, sou pessoa com formação, sou um ser humano, não preciso da vossa condescendência. Sou eu quem tem de viver com a doença toda uma vida, sou eu quem terá de viver com os efeitos secundários e até com os que poderão ser irreversíveis ao fim de um tempo de toma.

Eu não preciso de um médico, agora falando do meu reumatologista, que me diz: "pode comer tudo normalmente", entre outras pérolas, e depois chego a casa e leio nas notícias que houve um congresso científico em Portugal e que já é mais do que sabido que a alimentação tem um impacto enorme nas doenças auto-imunes, pode até fazê-las entrar em regressão ou em exacerbação... Então?... Em quê que ficamos, caro doutor? Aqueles senhores do congresso, não são uns esotéricos malucos, são os maiores cientistas mundiais ao nível das doenças auto-imunes... O caro doutor possivelmente também lá esteve...

Eu sou uma pessoa e mereço consideração. Já disse e repito, repetirei até que me deixe de doer a alma (sim, comigo é ao contrário... já que a dor é crónica...), eu não preciso de uma receitinha nem tampouco de condescendência. Eu mereço fazer parte do meu tratamento.

Estou tão fartinha disto, senhores... tão fartinha... 

Começo a sentir-me desesperada. Podia ir procurar outro reumatologista?... podia! Mas não conheço nenhum e corro o risco de me sair outro igual a este... seria o mais certo!

A mim dói-me mais porque é a mim a quem dói...

Hoje apetece-me purgar... Estou com dores e farta de me sentir assim... Há dias do catano e hoje é um deles... Não me apetece ler porque tudo que leio me faz ficar ainda mais em baixo... Uma pessoa ao fim de 44 anos a fazer de tudo e mais um par de botas já deixou de acreditar em frases feitas e finais felizes. Nada temam... amanhã já me passou! E lá vou eu voltar a acreditar que a vida é linda, e viver é maravilhoso e eu sou uma sortuda porque se tenho dores é sinal que estou viva e se estou viva é porque não estou morta (já dizia a filósofa), e não estar morta deve ser fixe, digo eu que não me recordo de alguma vez ter estado morta!

Hoje, se não me quiserem aturar podem ir ler para outros blogues... Eu sei que há vidas piores do que a minha, mas isso hoje não me consola, bale? Não é por haver quem sofra mais do que eu (a propósito, já alguém andou por aí a medir sofrimentos para eu ler a estatística? Estou curiosa!) que o que sinto deixa de me fazer sofrer. "Ah, mas à D. Etelvina dói-lhe mais do que a ti?!..." A sério? Mesmo a sério?... Onde está a escala?... O meu reumatologista diz que tem uma escala, então pergunta-me assim: de 0 a 10 quanto é que lhe dói?... E eu respondo. E ele aponta, todo contente com a sua escala científicaócoiso... E eu pergunto, como é que raio ele sabe se o meu 10 é igual ao dele? Ou ao 10 do Carlos? Ou ao 10 da Paula?... Não sabe! Então para que serve a porra da escala?... Esta merda chateia-me. Se ninguém sabe quanto é que o outro sofre, vamos lá deixar de fazer comparações, pode ser?....

Hoje a mim dói-me mais do que a todas as outras pessoas do mundo, pode ser?... Ou então não, mas como é a minha dor e é a mim que me dói custa-me mais a mim do que aos outros e vice-versa. Não me venham, por favor, pela santa e santinhos, dizer que eu não me devo sentir assim que há quem esteja pior, bale? V-o-c-ê-s-n-ã-o-s-a-b-e-m!!!!

Hoje dói-me o corpo e dói-me a alma... Ai que cliché... Deixem-me! É o meu cliché!... Hoje dói-me tudo e permitam-me que e sinta assim, se não não conseguirei curar esta dor...


1, 2, 3... 1804 drunfos em 5 meses...

Comecei ontem a nova medicação. O relato podia acabar por aqui, mas não! Se acabasse eu não seria a Marquesa de Marvila.

Quem me conhece sabe, e quem não me conhece também já vai sabendo, que eu odeio, odeio mesmo de não gostar nadica de nada, tomar medicamentos. Acho que foi por isso que não me tornei toxicodependente. Isso e medo de morrer, vá.

Neste preciso momento sinto-me idosa, sim, eu sei que não vou para nova, vocês também não, temos pena... Mas sinto-me mais idosa do que me sentia antes da medicação. Porquê? Bem, a modos que tenho de tomar  comprimidos ao pequeno-almoço, 3 ao almoço, 2 ao jantar e 1 ao deitar... E ainda me faltam comprar mais 2 medicamentos. Nas horas vagas pode ser que tenha tempo para fazer outras coisas, quiçá. Com alguma organização, entre um comprimido e outro sou capaz de conseguir ir fazer xixi, escrever qualquer coisa rápida e até, na loucura, sou capaz de conseguir trabalhar qualquer coisa, tipo 10 minutos. Pode ser, vocês atentem, pode ser que até arranje tempo para dormir. Uau!!! Sou ou não uma super-marquesa?

O Marquês diz que me vai comprar uma caixinha com os horários para os drunfos... diz que as há bem jeitosas na loja do chinês. Pode ser que ele seja um querido e me ofereça uma pelos anos... Ah ! Espera... só faço anos em Setembro o que significa que até lá, e a manter-se assim, até lá já terei tomado 1804 comprimidos. Porra! Fora os que tomarei para uma dor de cabeça ou outra... Fónix! Em 5 meses e uns trocos vou tomar mais drufos do que já tomei toda a vida.

E que tal te sentes, Marquesa?... Errrrr.... como direi... sinto-me idosa... sinto a cabeça zonza, vazia (Podem parar com a risota, não teve graça, ok? Não se goza com os doentes... Ahahhhahahah!!! Gozem lá à vontade, masé! Que eu faço o mesmo.)... e ainda me falta tomar uns drunfos que diz que podem ter alguns efeitos secundários, tais como insónias... 'soas da minha vida, amanhã estarei imprópria para consumo, caso se me dê as insónias, ó caraças. É que se eu não durmo sou pessoa para me tornar agressiva, violenta ou monstruosa... ou então não. Fico mais tipo zombie, incapaz de me mexer... Diz também que estes efeitos secundários passam ao fim de uns dias... a ver vamos... Já vos disse que odeio tomar medicamentos? Mas diz que é para ver se o raio da síndrome entra em remissão.

Diz também que quando os medicamentos começarem a fazer efeito, daqui a uns tempinhos curtos, espero eu, vou começar uma nova alimentação, rigorosíssima... ahahahhahahahahah!!!!! Quer-me parecer que é nessa altura que eu vou desejar os comprimidos... Porra! Não basta ter uma merda de uma doença crónica ainda vou ter de deixar de comer coisas "boas", vá saborosas...

Diz que a malta demora cerca de 2 anos a aprender a viver com uma doença crónica, eu ainda só a estou a viver há 9 meses... Está quase!!! Temos de ser optimistas....




Amanhã é dia de ir ao reumatologista e ele não faz porra de ideia do que se passa comigo...

Ora bem, amanhã é dia de ir ao reumatologista...Mostrar exames, análises e fazer perguntas... Como ando nisto há pouco tempo (mais ou menos 7 meses), ando completamente "à toa". Diz que o meu doutor reumatologista é especialista no tema e tudo e sabe mesmo bué sobre a minha síndrome, mas o doutor reumatologista não é muito dado à conversa e vai daí guarda toda a sua sabedoria para ele, e eu saio de lá completamente "às aranhas"... Ando a pensar mudar de doutor reumatologista mas, tal como vos disse, ando nisto há pouco tempo e não conheço mais nenhum. Assim, tal como diz o ditado "mais vale um reumatologista na mão do que dois a voar", conhecem o ditado certo?

Bem, dizia eu, amanhã é dia de ir ao doutor reumatologista e eu, para além das análises e exames que lhe vou mostrar, tenho a certeza que vou sair de lá na mesma ignorância com que entrei... Já pensei levar uma lista de perguntas mas parece-me sempre uma hipótese tão parva...

Esta síndrome é um verdadeiro mistério para mim, vai-me valendo a net mas essa todos nós sabemos que não é de fiar. Já vou conhecendo o meu corpo, já sei a léguas o que me vai fazendo mal. Mas, o que me vai fazendo mal é uma parte muito substancial da minha vida, nomeadamente a minha profissão. Este ano comecei-o decidida a mudar muita coisa, muito porque quero mas a maioria porque tem mesmo de ser. Acho que esta síndrome me está a obrigar a deixar para trás uma série de coisas que me fazem mal para agarrar outras que me fazem feliz, e eu vou aproveitar o empurrão. 

Profissionalmente terei de mudar muita coisa. Gosto muito do que faço mas não consigo fazê-lo. É fisicamente extenuante e causa-me um grande sofrimento. Ao contrário do que estava à espera, o Inverno tem sido muito mais meu amigo do que o Verão (aiiiii... e o que eu gosto do Verão, senhores....), um dos motivos prende-se com a minha profissão o outro, acho eu que terá a ver com o sol e com o não poder apanhar....aiiiiii.... o que eu gosto do Verão e do sol.... Esta é uma das perguntas que eu tenho para fazer ao meu doutor reumatologista: O que devo fazer para me aguentar fisicamente a trabalhar? E porque raio não posso apanhar sol?... Ele já me disse que não posso mas não me disse porquê e eu acho que tenho o direito de saber. Não será certamente porque ele acha que eu fico mais bonita menos bronzeada... Digo eu!

Neste momento sinto-me mesmo obrigada a mudar muita coisa... Mudar aos 44 não será tarefa fácil, digo eu! Mas é possível, claro que é! É sempre possível, basta querer. E claro, eu quero! 

Quero?!... Há aqui uma margem muito ténue entre o querer e o ter de ser... Uma linha muito fina que os separa... Mas de uma coisa eu tenho a certeza, eu vou mudar muita coisa, apesar de isso implicar muito na minha vida, até nas pequenas coisas que me fazem mal como, gente parva, deitar-me tarde (e eu sempre fui tanto da noite... nunca gostei, nem gosto de acordar cedo. Gosto de ler pela noite fora, de ver séries e filmes...), fazer fretes, estar mais com quem gosto, ter mais amigos e conviver com eles (mais durante o dia, lá está... que o último convívio foi duro e acabou às 5 da manhã... fiquei de cama durante 3 dias... mas foi tão fixe. Depois conto-vos), fazer mais o que gosto, voltar a mudar de profissão, ou pelo menos fazer menos o que mais faço agora, ser mais independente (principalmente financeiramente) o que também pode significar ter mais dinheiro (não, não vou assaltar um banco, sosseguem... Vou trabalhar mais e noutras áreas), escrever muito mais (já que eu gosto tanto e me faz tão bem)... enfim, poderia continuar... Como vêem, não será pêra doce e não são resoluções de ano novo. Poderíamos estar em Maio que eu estaria a escrever o mesmo. O que acontece, e eu acredito mesmo nisso, é que o nosso corpo obriga-nos a parar a mudar o que não está bem, o que não nos faz feliz, "et vóila... c'est ça..." (oh eu a falar estrangeiro...).

Amanhã é dia de ir ao doutor reumatologista e ele não faz porra de ideia do que se passa comigo e acha que eu sou apenas e só um monte de tecido, de células e órgãos portadora de uma síndrome que ele conhece muito bem... Conhece a síndrome mas não me conhece a mim e não faz porra de ideia do que esta síndrome significa na minha vida e, aposto, não vai perguntar...


Cartão do cidadão, esse grande amigo do peito

Eu não posso prosseguir descansada neste fim-de-semana, ir por aí a fora a cantar e a dançar... sosseguem, eu não vou fazer isso! Estava a reinar*!... Mas estimo passar um bom e feliz fim-de-semana, até porque comprei castanhas para assar!... (sosseguem, eu também como outras coisas para além de castanhas, mas castanhas, ai as castanhas fazem-me tão feliz ao nível do palato!)

Bem, mas estava eu a dizer, não posso prosseguir por este fim-de-semana fora sem vos dizer que após a próxima segunda-feira a minha vida não mais será a mesma... E porquê? Perguntam vocês... Vais mudar de emprego? Saiu-te o euromilhões? Vais ser mãe? Vais viajar? Já sei!! Vais mudar de país?... Não pessoas amigas, nada disso! Vou para a fila, de quilómetros segundo parece, para renovar o cartão do cidadão... E porquê que a tua vida vai mudar?....


Eu explico, para além de ficar com um cartão do cidadão novo, mas com uma foto igualmente medonha (tenho para mim que é uma estratégia do Estado para a malta ficar muito feliz quando se vê ao espelho), vou ficar com mais cabelos brancos, com os nervos virados do avesso, com menos neurónios (sim, eles desgastam-se e falecem!... Está provado que muitos se suicidam quando renovamos o cartão do cidadão)... Ahhh!!! E porquê? Porque não fiz a pré-marcação! E então dá-se o caso de que tenho de ir para lá, ficar horas em pé (ainda não tinha realizado isto!... Não sei como vou ficar no final desta epopeia... Já que esta minha companheira de vida, a minha amiga síndrome, não me permite ficar de pé muito tempo...), conviver amenamente com os demais cidadãos que requerem um cartão, e toda a gente sabe que um cidadão que requer o seu cartão não só tem mais pressa do que os outros como tem muitas histórias incriveis para partilhar... E porque raio não marcaste tu isso?

Porque, pessoas amigas, eu achava que vivia num país de primeiro mundo (mas dá-se o caso de ter andado enganada estes anos, e pelo Estado na "pessoa" do Ministério da Educação que me ensinou na escola que éramos um país de primeiro mundo), mas não!! Nós vivemos num país onde a primeira vaga para marcação da renovação do cartão do cidadão é para final de Janeiro!!!!!! Janeiro!!

Ora, eu não posso viver até Janeiro sem cc (nós tratamo-nos assim, já é tu-cá-tu-lá, é marquesa para aqui, cc para ali)... Uma pessoa afeiçoa-se e já não consegue viver sem ele.

Portanto, se preparem (ler com pronúncia brasileira) que na segunda-feira se regressar com vida, hei-de ter muito para vos contar!

 

 

*Reinar: Palavra utilizada com bastante frequência por indivíduos que nasceram pelos anos 70** e que significa brincar.

** Não sei se os nascidos noutras décadas, como 60, 80 e por aí a fora também a utilizam porque eu só nasci na década de 70. Sei apenas que os que nasceram após o anos 2000 não fazem porra de ideia o que significa, a não ser que sejam especialmente cultos.